Propomos concentrar artigos, de autores diversos, (postados na internet, revistas ou livros) com vista a reunir num mesmo lugar o que está espalhado por ai. A intenção-maior, ao reunir as manifestações de ideias que este Blogueiro se identifica, é compartilhar o conhecimento, enfatizar o senso comum que preza pelo amor a Deus e ao próximo, que valoriza a vida humana e tudo que compõe nosso espetacular ecossistema. Não há objetivo comercial nisso. Blog principal: Belverede.

Translate

Research | Pesquisar artigos de Cosmovisão

terça-feira, 26 de abril de 2011

Pastoras evangélicas reflexão com base em 1 Corintios 14.34-35

Photobucket
 Ler a Bíblia Sagrada sem contextualizar os textos que lê é complicado!

Infelizmente há muitos isolando 1ª Corintios 14.34-35.

As pessoas que apelam ao fato de que as mulheres devem ficar caladas na igreja fazem uma hermenêutica equivocada. É uma interpretação que entra em choque com a atitude de Paulo em reconhecer o ministério feminino nas igrejas, cria um disparate direto com 1ª Coríntios 11.5, onde lemos o apóstolo endossando a ação delas, quando ele afirma que as mulheres poderiam profetizar e orar durante os cultos.

A controvérsia que encontramos da parte de muitos que afirmam que as mulheres devem ficar mudas nas reuniões é pelo fato de um conhecimento superficial das Escrituras. “Falar”, no versículo 34 do capítulo 14 da carta de Paulo aos crentes coríntios, à luz do contexto histórico do registro bíblico da vida de Paulo, é no sentido de perguntar. Naquela congregação havia um grupo de mulheres intorrompendo a reunião. Repare o versículo 35: “se querem aprender alguma coisa, interroguem (perguntem) em casa aos seus maridos”.

Outra vez: O fato de haver a liberação para orar e profetizar prova que a proibição era focada num problema específico e jamais dirigida de maneira geral às outras mulheres daquela congregação ou outras congregações contemporâneas, ou à Igreja nos séculos que viriam.

O próprio apóstolo Paulo citou o ministério feminino ajudando-o: Priscila, Maria, Trifena, Trifosa, Pérside (Romanos 16.1-7, 12).

Ademais, o Novo Testamento lista diversas outras mulheres no serviço ministerial: Maria Madalena, Joana, Suzana, “muitas outras” (Lucas 8.1-3), Dorcas (Atos 9.36-42), Febe (Atos 16.1-2).

E.A.G.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Select the language